10 de jun de 2015

5 de abr de 2015

con té m que m e am a

.


falo 
sobre 
o abs trato 

penso  
sobre 
impos sibil idade

rascunho 
sobre 
tent a tivas  

pare        ce
pre encher  
o que  
à
de  ver  ria 
con        ter 
es    p    aço  


contém quem ama 
conte que me ama



.

1 de abr de 2015

.

sem alimento
como se estivesse
por dias seguidos

em jejum

é a dor 
de não estar com você
meu alento

.

10 de jan de 2015


.


ps.
teamo, palavra que roça o céu da boca



.

para-briga

.

se não ligar o para-brisa
cada minúsculo pontinho
embaça
e vai
embaçando
em  ba   ça  n   do
e  m  b     a   nd  o
e             m
m                   b
b                                   a
a                    ç
ç                                 a
a          n
n                                  d
d               o
o                                            a   visão

até não enxergar .              .            .
                                 nitidamente

/ / é preciso ligar o para-brisa / /



                                          você ou eu?


11 de set de 2014

.

o corpo escolhe
um lugar pra doer.

dissimula uma dor
impossível de saber...
qual origem supor?

         dói garganta
tem dor de morder
               dói boca
    te dor de comer
            dói cabeça
     tem dor de fudê
     o corpo se ocupa dessa dor de doer,


que de coração é melhor desaperceber

.

9 de ago de 2014

quando a atriz volta para casa

.

quantas palavras cabem em um
c.ORAÇÃO
COR.AÇÃO
co.RAÇÃO
COuRAÇA.O
CO.RAÇA.O

          quando meu corpo não me pertence
          é de um catinho de silêncio
                                         preciso
          que pacifica o c.o.r.a.ç.ã.o



.





.



























.

9 de mar de 2014

5 de fev de 2014

.



cadê o pErsonagEm
desse poema   q u e,
sem sujeito,
discorre na busca
de alguÉm     q u e
preencha
cada palavra    q u e
determine a vida
desse poema   q u e,    
                       [ainda]
sem um responsável,
não sustenta uma
          palavra  q u e
          sig nifi   q u e
  algo alem de
                vocabulário
                de
                dicionário
                         q u e 
                o menino consulta para acertar na prova
                de
                portu q u e s.


.

6 de jan de 2014

.

               o mosquito
                  no vácuo
      da lata de tomate
                     fechado
              em conserva
         tempera o caldo
               do macarrão
deixando em parafuso
         a tia Margarette!


.

17 de ago de 2013

.

--> 
um celular toca
o dono ignora
toca Cartola
no ouvido que chora

.

10 de ago de 2013

.


ruídos fatais

           a gata deseja
           o pássaro distraído

.

.

.
acaso inadequado
sol   com    chuva
um   beijo   suado

.

2 de ago de 2013

.



do aquário à bacia

o peixe em apneia

           não inspira

.

.


cantando seu grito
o bem-te-vi

devasta a cidade

gritando seu canto

.

24 de jul de 2013

.

-->
espirro de chuva

          no  climatempo de hoje

                        faz sol

.

-->


pôr do sol

que expurga pólen amarelo

suspiro de girassol


15 de jul de 2012

farsa em 3 atos contra paixão


prólogo
ela,
no centro da situ.ação,
decidiu-se de antemão.

1º ATO
me en.cantei pela possibilidade
im.pulso curioso
des.vendar
penetrar-lhe pelo olhar entrar.

2º ATO
fui correta,
não me apaixonei.
era situacional
não podia se apaixonar,
a situação externa não lhe permitia...
tudo simples
resolvido, estava:
a entrega do momento
bastava.

3º ATO
me iludi
acre.ditou na ilusória de.cisão...
e se escolhe apaixonar?

epílogo
hoje, não passa hora sem que me atravesse os sentidos
a memória do teu cheiro do teu toque


é
o
fim


(cai o pano)

observanas cotidiações VII

-->
passarinhos desfilam na minha janela
e essa gata não ousa levantar
da minha blusa de flanela

6 de jul de 2012

existe uma garotinha


ela caminha,
a terra umedece
com a expansão de seu medo,
as árvores encolhem a garotinha
na sombra de sua incerteza.

ela adentra
a floresta de seu medo,
tornando-se pequenina, frágil.

ela insiste
em passos trêmulos de coragem,
curiosidade infantil
de buscar o que está além dela mesma.